Blog Hospital do Olho


Você já parou para pensar na quantidade de doenças dos olhos que existem? Apesar do número elevado de problemas que podem afetar nossa visão, só costumamos tomar alguma ação quando ela já está prejudicada de cerca forma.

Por isso, o Ativo Saúde preparou um guia sobre as principais doenças oftalmológicas para você “ficar de olho” e alerta a qualquer sinal. Mas lembre-se: é preciso consultar um oftalmologista com regularidade, e não apenas quando algum problema surgir.

As 19 doenças dos olhos mais comuns

1. Ambliopia

Também chamada de “olho preguiçoso”, a ambliopia é uma disfunção oftalmológica sem lesão aparente. Ela geralmente acontece em crianças e é caracterizada como uma doença que prejudica a visão, mas que não pode ser corrigido somente com o uso de óculos.

O tratamento é demorado, pois muitas vezes o problema não está restrito ao olho afetado, e sim à região cerebral responsável pela visão.

Por afetar principalmente crianças, é comum que casos de ambliopia passem despercebidos pelos pais. Mas se não for tratado antes dos 7 ou 8 anos de idade, a doença pode levar a um déficit de visão que durará pela vida toda. Por isso, acompanhamento oftalmológico é fundamental até mesmo nos primeiros anos de vida.

2. Astigmatismo

O astigmatismo é uma das doenças dos olhos mais comuns que existem. Ele é resultado de um problema na formação da córnea, que faz com que a imagem que deveria ser formada na retina seja formada em diversas regiões diferentes do olho, resultando numa visão distorcida.

Isso pode ser tanto um problema que acontece naturalmente, quanto um problema associado a algum trauma que a pessoa tenha sofrido no olho, como uma cicatrização, que altera a refração da luz.

Além do uso de óculos (recomendado para a maioria dos casos), é possível realizar um transplante de córnea para lidar com casos mais sérios.

3. Blefarite

A blefarite é uma inflamação nas pálpebras. Sua manifestação e severidade dependem bastante de cada pessoa, mas quem tem pele muito oleosa ou tendência a desenvolver caspas, por exemplo, pode sofrer com a blefarite.

Mas o que blefarite tem a ver com caspa? A doença causa uma irritação na base dos cílios, onde acabam sendo produzidas escamas muito semelhantes às caspas.

Essa irritação e incômodo constantes podem afetar o resto do olho, portanto é fundamental tratá-la com limpezas recorrentes, compressas de água morna ou remédios receitados pelo médico. Eventualmente, xampus com pH neutro podem dar conta do recado também.

Lentes de contato sujas também podem causar blefarite. Então, caso você use lentes, mantenha-as sempre bem limpas.

4. Catarata

A catarata é uma doença bastante associada a idosos, pois a maioria das pessoas com mais de 70 anos de idade sofre deste problema.

É possível que ela apareça em outras idades, mas nesses casos ela costuma estar mais relacionada a causas congênitas ou enfermidades como diabetes e traumas no olho.

A catarata se caracteriza pela perda de transparência do cristalino, que é uma espécie de lente natural que temos dentro do olho. Isso ocorre lentamente e pode acontecer em somente um dos olhos primeiro, mas a tendência é que, sem tratamento, a catarata vá prejudicando a visão pouco a pouco, deixando a imagem mais embaçada.

Assim, a cirurgia é o único tratamento eficaz contra a doença.

5. Ceratocone

O ceratocone é uma doença geralmente hereditária, que causa deformação da parte central da córnea (a superfície transparente que recobre os olhos).

Ela também pode se manifestar em pessoas alérgicas que coçam demais os olhos. Esse hábito pode fazer com que a retina fique mais elevada do que o normal, dando a impressão de que está “saltada”.

A pessoa com ceratocone costuma ter sua visão debilitada de diversas formas: pode sofrer perda do foco, diminuição da visão noturna, sentir alta sensibilidade à luz, entre outras situações. Ela também pode ser caracterizada por um amento considerável de astigmatismo em um olho em comparação ao outro.

Adolescentes e jovens têm mais chance de desenvolver a doença, de modo que ela raramente se manifesta após os 30 anos de idade. Óculos e lentes de contato costumam resolver o problema, mas o oftalmologista também pode ter de realizar algum procedimento cirúrgico, dependendo do caso.

O acompanhamento médico também é fundamental, pois o ceratocone não controlado pode levar eventualmente à perda de visão.

6. Conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação da conjuntiva, uma membrana que recobre as pálpebras e os olhos. Quando os olhos estão vermelhos, invariavelmente é sinal de que essa membrana está irritada, portanto trate-se de alguma forma de conjuntivite.

Obviamente, o nível de irritação varia, assim como as causas: pode ser bacteriana, viral ou alérgica. No caso da viral e bacteriana, ela é contagiosa, especialmente porque causa bastante lacrimação e a pessoa geralmente limpa os olhos com as mãos.

O tratamento da conjuntivite viral é apenas sintomático. O da bacteriana pode ser feito com o uso de antibióticos receitados pelo médico.

No caso da conjuntivite alérgica, ela não é contagiosa, mas incomoda pela coceira constante nos olhos.

7. Daltonismo

O daltonismo é uma doença quase sempre hereditária, que dificulta a diferenciação entre as cores verde e vermelho. Por vezes, também afeta a percepção do azul e amarelo, ou pode deixar a visão acromática, ressaltando somente tons de preto e branco.

É raro o daltonismo afetar as mulheres em razão de sua composição cromossômica, mas a doença está longe de ser um fenômeno raro. Estimativas dão conta de que o problema está presente em cerca de 5% da população mundial.

8. Descolamento de retina

A luz que entra em nosso olho é refratada de maneira a formar as imagens que enxergamos sobre a retina, que é quem “manda” essas imagens para o cérebro por meio do nervo óptico, onde a visão é processada.

A retina é uma membrana que se encontra dentro do olho, e ali ela recebe os nutrientes necessários para se manter funcionando. Quando ocorre o descolamento – por trauma, infecções, idade ou doenças – a retina para de receber estes nutrientes e começa a se debilitar.

Se não for tratado com urgência, o descolamento de retina pode resultar em cegueira. Como esse descolamento não causa dor, a forma de percebê-lo é por meio da visão turva, pontos e manchas escuras na visão (chamados de moscas volantes) ou fotopsias (flashes de luz repentinos). O tratamento é, de forma geral, cirúrgico.

9. Degeneração macular relacionada à idade (DMRI)

A degeneração macular relacionada à idade, também chamada de DMRI, acomete habitualmente pessoas com mais de 60 anos de idade.

Ela se dá pela degeneração da área central da retina, causando problemas na visão central. É possível frear um pouco a evolução da doença por meio de acompanhamento nutricional e pela utilização de óculos, mas os danos já provocados por ela são geralmente irreversíveis.

10. Estrabismo

Popularmente chamadas de “vesgas”, as pessoas com estrabismo sofrem a falta de paralelismo dos olhos. Um dos olhos pode estar esteja mais para dentro, mais para fora, ou pode ser até que haja uma diferença vertical entre eles.

O estrabismo pode ser constante ou ocorrer intermitentemente. A pessoa estrábica comumente sofre com dores de cabeça, torcicolos e eventualmente pode ter até perda parcial da visão.

As causas variam bastante e podem até ser neurológicas. É possível corrigir o estrabismo com óculos, mas condições mais agudas requerem uma operação, que costuma resolver bem o problema.

11. Glaucoma

O glaucoma é uma das doenças dos olhos mais graves que existem. Ela acontece quando o nervo óptico, que liga os olhos ao cérebro, sofre danos constantes em razão do aumento da pressão intra-ocular.

Essa hipertensão pode ter diversas causas, mas o importante é que, se não tratada, pode levar à cegueira. Ela costuma atingir pessoas de idade mais avançada, e o problema é que muitas vezes é assintomática.

Por isso, é necessário realizar exames com regularidade no oftalmologista, especialmente após os 60 anos de idade.

12. Hipermetropia

A hipermetropia ocorre por um defeito anatômico, com os olhos apresentando medidas menores que as usuais. Isso faz com que a imagem trazida pela luz se forme depois da retina. Assim, a pessoa com essa condição tem dificuldade para enxergar de perto, e esse esforço pode causar dores de cabeça recorrentes.

Todos estão sujeitos à hipermetropia, inclusive crianças em fase de crescimento. Nesses casos, porém, é provável que o grau diminua na adolescência, pois os olhos crescem e corrigem um pouco o problema.

13. Miopia

Assim como a hipermetropia, a miopia também ocorre quando a pessoa apresente um defeito anatômico nos olhos.

Provavelmente, ela é a primeira palavra que vem à mente quando pensamos em problemas de visão, já que sua incidência é grande.

Os olhos de pessoas com miopia possuem um formato mais alongado ou apresentam má formação das córneas ou do cristalino, de maneira que a imagem da visão se forme antes da retina. Isso faz com que essas pessoas tenham dificuldade para enxergar de longe, mas conseguirão ver normalmente de perto.

Neste caso, ela não precisará de óculos para ler, por exemplo, mas talvez precise para enxergar a lousa na escola ou ir a alguma peça de teatro.

É comum a miopia surgir na infância e na adolescência, mas adultos e idosos também podem desenvolvê-la, especialmente quando ela está associada à catarata neste último grupo.

14. Presbiopia ou vista cansada

A presbiopia é um problema relacionado à idade e também é conhecida como “vista cansada”. Com o passar dos anos, o cristalino, que é o que permite aos olhos ajustar o foco da visão, perde sua elasticidade.

Por isso, pessoas acima dos 40 anos podem desenvolver o problema naturalmente, sendo que o principal sintoma é a dificuldade para enxergar de perto.

Aos poucos, a leitura pode se tornar desagradável, pois o indivíduo precisa afastar os objetos cada vez mais para enxergá-los com clareza. A única forma de lidar com o problema é por meio da utilização de óculos.

15. Pterígio

O pterígio ocorre quando há um espessamento demasiado da conjuntiva (membrana que reveste os olhos). Esse espessamento acontece a partir da extremidade do olho em direção à córnea.

Apesar de ser um problema benigno e não infeccioso, se ele cobrir a pupila pode causar cegueira. Acredita-se que a incidência constante de raios ultravioleta nos olhos seja uma das causas do pterígio, por isso é necessário sempre proteger os olhos com óculos escuros.

O tratamento para o pterígio é apenas cirúrgico.

16. Retinopatia

São lesões que atingem a retina e especificamente seus vasos sanguíneos. De maneira geral, elas são associadas a doenças sistêmicas que causam essa condição. Um exemplo é a retinopatia diabética, que danifica os vasos por causa do excesso de glicose no sangue, comum a pessoas que têm diabetes.

Em qualquer caso, porém, a retinopatia pode levar à perda da visão e precisa ser tratada antes de o problema evoluir para um quadro mais severo.

17. Síndrome do olho seco

Também chamada de síndrome de disfunção lacrimal, é um defeito na composição das lágrimas ou na sua produção, o que prejudica a lubrificação dos olhos.

As pessoas que têm o chamado “olho seco”, assim, sentem uma pontada muito forte nos olhos, que passa sozinho. No entanto, é preciso marcar uma consulta com um oftalmologista para que ele possa orientar o tratamento mais adequado. Geralmente, ele é feito com o uso de colírios especiais.

18. Terçol

O terçol é outra do rol das doenças dos olhos mais comuns que existem. Ele acontece quando uma das glândulas da borda das pálpebras ficam entupidas ou são infectadas por alguma bactéria. Neste último caso, a doença é contagiosa.

Quando o terçol ocorre nas glândulas externas do olho, chamamos o problema de hordéolo. Já quando afeta as glândulas internas, é um calázio, que não é infeccioso e causa sintomas mais amenos.

A blefarite não tratada pode provocar um quadro de terçol. O tratamento geralmente é feito com o uso de pomadas, mas em alguns casos (especialmente quando o problema atinge a parte interna dos olhos) é necessário remover por meio de uma cirurgia.

19. Uveíte

A uveíte é uma inflamação que afeta total ou parcialmente a úvea, parte do olho composta pela íris, corpo ciliar e coroide. Em casos mais raros, pode atingir também a retina e o nervo óptico.

Apesar das causas desta doença dos olhos não ser totalmente conhecida, sabe-se que infecções por vírus, bactérias ou fungos possam ter algo a ver. Outras doenças, como toxoplasmose, herpes simples, citomegalovírus, tuberculose e sífilis também podem estar relacionadas à uveíte.

Ela é caracterizada principalmente pela vermelhidão que provoca nos olhos, mas também pode causar dores, fotofobia, visão turva e embaçada e levar ao surgimento de pequenos pontos pretos na visão que se movimentam rapidamente.

FONTE: Ativo Saúde


No próximo dia 15 de novembro, o Hospital do Olho receberá o prêmio Top Of Mind Brazil como a marca mais lembrada pelos piauienses no setor de oftalmologia do Piauí, de acordo com o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Opinião Pública (INBRAP). A diretora do Hospital, Dra. Kaline Carvalho, participará da solenidade de premiação em São Paulo.

O prêmio ratifica os serviços de excelência prestados pela marca piauiense ao longo desses 12 anos na área oftalmológica. O Top Of Mind é concedido anualmente àquelas empresas, entidades e profissionais que fazem a diferença com o objetivo de reconhecer e premiar a gestão de empresas e instituições que se destacam no mercado brasileiro, cuja excelência na qualidade de seus produtos ou serviços contribuem efetivamente para o desenvolvimento socioeconômico do país.

Saiba mais

Considerado como um dos mais importantes prêmios de marketing editado no Brasil, o Top Of Mind Brazil tem aprimorado suas técnicas de coleta e análise de dados para que seus resultados sejam cada vez mais fiéis às tendências de mercado.

O INBRAP realiza pesquisa de mercado apurando dados e informações a respeito das empresas, instituições e profissionais, no que tange à gestão da qualidade, e que por sua postura estão ativos na memória imediata de seus clientes. As empresas indicadas passam por diversas análises, onde são referenciados os diversos itens com os padrões de qualidade.

Com informações do INBRAP



O bebê já nasce enxergando? 

Não, o recém-nascido apenas percebe luz e vultos, os quais ainda não sabe interpretar. Assim como ele não sabe falar e andar, também não sabe ver. Com o passar dos meses, se estiver tudo em ordem com seus olhos, irá desenvolvendo progressivamente sua visão. Próximo aos cinco anos de idade, na maioria das crianças, a visão será igual a do adulto.

Qualquer doença ocular ao nascimento, como a catarata congênita e o glaucoma congênito, pode prejudicar totalmente este desenvolvimento. O teste do reflexo vermelho, também chamado de “teste do olhinho”, deve ser realizado ainda na maternidade. Ele é capaz de detectar essas e outras doenças, às vezes gravíssimas, como o retinoblastoma (um tipo de câncer ocular) precocemente.

Oftalmia Neonatal, Obstrução do Canal Lacrimal e outras alterações

A oftalmia neonatal é uma conjuntivite que afeta crianças menores de 28 dias de nascimento. Ela é causada pela infecção durante o parto, em virtude do contato da criança com as secreções genitais da mãe, combinada com a falta de cuidados no momento do nascimento. Para evitar a contaminação, ainda na sala de parto, profissionais de saúde aplicam gotas de nitrato nos olhos da criança.

O bebê, em seus primeiros dias de vida, também pode apresentar olhos muito vermelhos e lacrimejantes, causados pela obstrução do canal lacrimal (dacriocistite). Se isso ocorrer, ele deve ser examinado por um oftalmologista, que poderá indicar o tratamento correto.

Também deve ser levado com urgência ao médico oftalmologista o bebê que, ao nascer, tiver mancha branca na menina dos olhos, olhos anormalmente grandes, ou ainda que não suportem claridade.

Como limpar os olhos do bebê?

Para limpar os olhos do bebê, deve-se utilizar gaze ou pano limpo molhado em água filtrada e previamente fervida. Fazer movimentos delicados sem apertar os olhos.

FONTE: Conselho Brasileiro de Oftalmologia 



O verão é maravilhoso! Seu clima quente favorece a prática de atividades ao ar livre. Como coincide com o período de férias escolares, é muito comum ver famílias interagindo juntas, planejando viagens, visitando parques, praias ou simplesmente praticando caminhadas ou corridas.

Estas práticas são excelentes para a saúde do corpo e da mente, mas é preciso tomar cuidado e sempre proteger seus olhos dos prejudiciais raios ultravioletas (UV). A falta de proteção adequada pode facilitar o aparecimento de doenças como a catarata, pterígio, lesões na retina, entre outras.


O uso dos óculos escuros

Para proteger sua visão é fundamental o uso dos óculos escuros com filtro UV. Isso mesmo, mais do que um acessório de beleza, este amiguinho vai proteger sua visão da ação nociva destes raios, agindo como uma espécie de filtro de luminosidade.


Muito cuidado

Devido ao comércio ambulante, muitos dos óculos encontrados nas ruas não recebem este filtro. Fique atenta a origem de seus óculos, pois seu uso indiscriminado, sem a proteção UV, representa perigo maior do que simplesmente não usar nada. Suas lentes escuras fazem com que a pupila se dilate e receba os raios diretamente, aumentando as chances de degeneração macular.


Onde comprar os seus óculos então?

São inúmeras opções de óculos escuros disponíveis em estabelecimentos especializados. Você irá encontrar um modelo que é a sua cara e de acordo com o seu orçamento.

Então, vá até uma ótica e prove o maior número de óculos que puder.

Após esta escolha, confira com o vendedor se o modelo possui o selo de qualidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), seu certificado de garantia e proteção UV.

Pronto! Você adquiriu lindos óculos escuros por um preço justo. Mais do que isso, recebeu também um aliado que irá proteger a sua visão enquanto aproveita o máximo do verão com sua família.

Importante:

1- Crianças também devem utilizar os óculos escuros.

2- Você deve usar óculos escuros com proteção UV sempre que sair ao ar livre e não somente no verão.

3- O uso também é recomendado em dias nublados, pois também somos afetados pelos raios UV nestes dias.

4- É possível adicionar grau nos óculos escuros. Consulte o seu oftalmologista!

5- Mesmo com o certificado do Inmetro de qualidade e proteção UV, os óculos escuros servem apenas para proteção da luz indireta do sol. Jamais olhe diretamente para o sol, pois mesmo com a proteção, sua luz direta é muito agressiva.

 

FONTE: Conselho Brasileiro de Oftalmologia


O nosso olho está constantemente exposto a bactérias, vírus, poluição, vento, uso de maquiagem. Esses e outros elementos podem causar graves problemas à sua saúde ocular.

Um destes problemas é a blefarite, conhecida como ‘caspas nos cílios’. Ela é uma inflamação que atinge a borda da pálpebra e é normalmente causada por bactérias e aumento de gordura na região.

O nome pode parecer estranho para a maioria das pessoas, mas a verdade é que a blefarite é uma doença muito comum no cotidiano do Oftalmologista. Seus principais sintomas são coceira, irritação no olho, vermelhidão, lacrimejamento, sensação de areia ou queimação dentro do olho, sensibilidade à luz, cílios grudados uns aos outros ou até perda dos cílios.

A boa notícia é que para evitar a doença basta realizar uma correta higiene ocular, o que para a maioria da população significa apenas lavar o rosto diariamente e manter os olhos limpos. Essa limpeza deve ser feita com produtos específicos e indicados pelo seu médico Oftalmologista.

Importante:

Pessoas com a pele mais oleosa precisam prestar mais atenção a esta higiene, pois apresentam maior tendência a secretar gordura, inclusive nos olhos. Pessoas que usam maquiagem próxima aos olhos também precisam ser mais cuidadosas, pois as glândulas sebáceas podem também ser afetadas e eventualmente ficar obstruídas, irritando a pele na área ocular.

Lave seu rosto com frequência e mantenha seus olhos sempre limpos. Isso vai diminuir as chances de um processo infeccioso e inflamatório que pode comprometer sua visão e te impedir de apreciar as belezas da vida.

FONTE: Conselho Brasileiro de Oftalmologia


Muito amor e solidariedade. Assim foi a tarde dos colaboradores do Hospital do Olho ao visitar o Espaço Crescer – Núcleo de Desenvolvimento Infantil nessa quarta-feira, dia 31. Localizado no bairro Vila Bandeirantes, zona leste de Teresina, o projeto atende crianças de escolas públicas da região com reforço escolar e atividades socioeducativas no turno da tarde.

As 30 crianças atendidas pelo projeto recepcionaram os colaboradores do hospital com música e abraços. Após o momento de acolhida na sala de aula, eles conheceram toda a casa e o funcionamento do núcleo. Em seguida, a hora mais esperada, com o lanche e a entrega de brinquedos.

Os pequenos não escondiam sua alegria e satisfação após o recebimentos dos presentes. Segundo a professora Josefa Cardoso, as doações mantém o projeto e viabilizam todas as atividades em prol das crianças. “Amor é a palavra que define essa visita maravilhosa. Porque só através de doações de coração que conseguimos tudo isso ao longo desses anos. E ver o sorriso estampado no rosto das crianças já vale muito a pena”, afirmou.

Para Débora Melo, supervisora de serviços do hospital, foi uma tarde muito especial. “Gostaríamos de participar mais de ações como essa. Já vamos nos programar para uma nova visita com mais colaboradores e mais brinquedos. Tivemos uma recepção bem calorosa - são crianças muito educadas”, disse.

Já Lailson Alves, técnico de enfermagem, saio muito feliz pela oportunidade de proporcionar um momento de lazer as crianças, mas principalmente pelo aprendizado. “Sabemos que são crianças carentes e que precisam de um amparo maior. O projeto vem para preencher essa lacuna, tanto no lazer, mas como também pedagogicamente, sendo um acréscimo ao ensino da sala de aula”, finaliza.

Saiba mais sobre o Espaço Crescer:

Fundado há 13 anos, o projeto surgiu pela iniciativa de estudantes do curso de Direito que realizavam ações sociais e faziam doações a instituições filantrópicas em Teresina. O grupo decidiu juntar todos os recursos e criar o espaço que atua no suporte de escola de crianças de baixa renda.

Todos os anos são selecionadas 30 crianças de uma determinada escola, escolhida por quem está à frente do projeto, com base nas dificuldades de aprendizagem. São escolhidos meninos e meninas com idade entre seis e sete anos, na fase da alfabetização. Eles vão para o espaço de segunda a sexta-feira, onde ficam das 13h30 às 17h30.


A diarista Eurilene de Sousa Dias saiu de casa cedo. Ela sabia exatamente qual estande deveria ir primeiro no Criança Feliz. “Eu queria ver como está a visão do João. E sabia que era importante para ele”, disse a mãe do João Emanoel de quatro anos. “Vi na TV que o Hospital do Olho estava aqui. Por isso, eu vim e foi o primeiro lugar que procurei”, conta. Pelo terceiro ano consecutivo, o Hospital do Olho participa do projeto Criança Feliz, realizado pela TV Clube, no Parque da Cidadania, realizando exames oftalmológico de forma rápida e gratuita.

O estande do Hospital que teve como temática circo, recebeu crianças de todas as idades. Durante o atendimento, é feita uma triagem, verificado qual o problema de visão e dado o encaminhamento para uma consulta. Médicos e membros da equipe técnica do Hospital do Olho estiveram durante as três horas de evento, atendendo e conversando com os participantes sobre os cuidados com a saúde ocular. No local, os pequenos também tiveram a oportunidade de participar da oficina de pintura, em uma área especialmente pensada para eles.

“Acho que aqui é um dos lugares mais importantes do Criança Feliz. Trouxe minha filha, mas aproveitei também para me consultar. É bom que a gente vê logo se tem alguma coisa, porque a gente só pensa na visão quando sente algo e aqui podemos logo saber se tem alguma coisa errada”, afirmou a dona de casa, Isabel Lima Silva. Nesta edição, além do atendimento às crianças, o Hospital do Olho fez triagem com os adultos que participavam do evento.

A enfermeira Samara Ramos, gerente do serviço de Saúde do Hospital do Olho, explicou a satisfação do Hospital em marcar presença em mais uma edição desse projeto da TV Clube de amplo alcance social. “É muito bom participar. No ano passado, atendemos 500 crianças e nossa meta para este ano foi 800 atendimentos. O mais importante é que as crianças retornam ao hospital para fazer acompanhamento porque aqui fazemos a triagem, uma avaliação preliminar. Nossa missão é levar orientação de saúde ocular para todas as pessoas que participam do evento”, afirmou.



Cegueira e outras deficiências visuais são preocupações antigas na área da saúde. Em 1975, por exemplo, foi criada a Agência Internacional para Prevenção da Cegueira (IAPB) com o objetivo de apoiar grupos profissionais e organizações não-governamentais envolvidas em cuidados oftalmológicos. Três anos depois, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou seu programa oficial de Prevenção de Cegueira e uma base de dados para orientar os países a desenvolver políticas de saúde ocular.

Problemas visuais

De acordo com estimativas da OMS, mais de 40 milhões de pessoas no mundo são cegas e outras 135 milhões sofrem limitações severas de visão. No Brasil, a deficiência visual é a mais representativa dentre os tipos de deficiênciaspesquisadas pelo IBGE (2010), afetando 3,6% dos brasileiros, principalmente com mais de 60 anos de idade. Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, estatísticas da OMS sobre a relação entre cegueira, deficiência visual e condições econômicas permitem estimar em 1,2 milhão a população brasileira de cegos.

Impactos da falta de visão

Impactos da falta de visão são expressivos. Segundo o Vision Impact Institute, em 2012, o custo de acidentes rodoviários no Reino Unido devido a motoristas com visão deficiente foi estimado em 55 milhões de dólares. Um estudo com crianças brasileiras apontou que o risco de reprovação de um nível escolar é três vezes maior para os alunos com acuidade visual abaixo de 20/20 em relação as crianças que enxergam bem.

Cerca de 80% dos casos de cegueira podem ser evitados por meio de ações efetivas de prevenção ou tratamento. Por isto, a OMS lançou, em 1999, o projeto Vision 2020, iniciativa global que visa eliminar as principais causas de toda cegueira prevenível e tratável até 2020, oferecendo suporte científico, tecnológico e pessoal especializado para que cada país implemente as ações necessárias internamente.

Prevenção

No Brasil, até agora, não se vê avanços significativos para melhorar as condições de prevenção e tratamento relacionados à cegueira e outras deficiências visuais. No entanto, muitos dos cuidados necessários para manter a boa visão podem ser adotados por iniciativa própria de cada pessoa. Por exemplo: uma alimentação saudável e balanceada, dormir ao menos oito horas por dia, evitar coçar os olhos, usar óculos de grau ou sol quando necessário e, claro, visitar um oftalmologista periodicamente, são hábitos ao alcance de todos que contribuem para a saúde ocular.

FONTE: Veja Abril


Reforçando seu compromisso social, o Hospital do Olho marcará presença no Criança Feliz 2018 que acontece neste sábado, dia 27 de outubro, no Parque da Cidadania, a partir das 17h. O evento, idealizado pela TV Clube, reunirá no espaço de lazer da capital prestação de mais de 150 serviços, atrações musicais, brincadeiras e sorteios para milhares de crianças e adultos.

O Hospital do Olho está preparando um espaço para receber toda a família. Na ocasião, a equipe realizará gratuitamente triagem oftalmológica com encaminhamento para consulta e orientações sobre a saúde ocular. Além disso, a garotada vai desfrutar de um ambiente lúdico com atividades recreativas.

Com o tema “Pensando grande pelos pequenos”, o Criança Feliz 2018 estima receber um púbico de 85 mil pessoas e realizar mais de 30 mil atendimentos. O evento tem como objetivo promover uma festa solidária, bonita e com serviços de qualidade gratuito para a população em quatro horas de evento.



O número de pessoas cegas ou com visão comprometida no mundo chega a 253 milhões, segundo dados da Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) e a Agência Internacional de Prevenção da Cegueira (IAPB, do nome em inglês International Agency for Prevention Of Blindness). Segundo o presidente do CBO, José Ottaiano, desse total, estima-se que em torno de 75% dos casos podem ser reversíveis. 

Segundo Ottaiano, um indivíduo que tem uma miopia de 4 ou 5 graus, por exemplo, se ele não corrigir esse erro refrativo, é enquadrado como deficiente visual ou sem uma visão adequada. Ele também explicou que a catarata é considerada uma cegueira reversível. “No entanto, se você não operar, o indivíduo fica com uma deficiência visual”. 

O presidente do CBO disse que a grande maioria das pessoas com cegueira ou visão comprometida no mundo, cerca de 90%, moram em países em desenvolvimento, que não dispõem de sistemas de saúde básica mais avançados. 

As principais causas de cegueira são os chamados erros refrativos, como miopia, astigmatismo, hipermetropia, que são corrigidos por graus de óculos; catarata; glaucoma; e degeneração macular relacionada à idade (DMRI).

Queda 

Ottaiano disse que, de 1990 para 2015, houve uma queda de 4,58% para 3,37% nos problemas visuais em termos de cegueira na população mundial. “A população mundial vem andando para a frente, apesar das diferenças e particularidades entre os países”. No Brasil, de acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 45,6 milhões de brasileiros têm alguma deficiência visual, dos quais 6 milhões teriam deficiência visual importante. O restante é cegueiras ou deficiência reversíveis.

De acordo com Ottaiano, o Brasil necessita de uma média de 600 mil cirurgias de catarata por ano e realiza entre 400 mil a 500 mil cirurgias. “Os pacientes passam a se acumular para o ano seguinte”, disse. 

Prevenção

Como forma de tratamento, o médico disse que a prevenção é muito melhor, mais eficaz e barata, e pode ser feita, inclusive, desde antes do nascimento. A ideia é que as pessoas procurem o oftalmologista, considerando a prevenção como uma prática regular, para evitar o aparecimento de doenças visuais.

“A prevenção é a palavra mágica porque, na realidade, a gente tem que tratar antes da doença. A doença já é a consequência, o indesejável”. Os esforços devem ser concentrados na educação e conscientização da população em relação aos cuidados com a visão.


Fonte: Agência Brasil
 


Celebrado anualmente na segunda quinta-feira de outubro (neste ano, dia 11), o Dia Mundial da Visão foi estabelecido como uma oportunidade de chamar a atenção da população sobre a cegueira e a deficiência visual.Durante este dia, em todo o mundo, são realizadas ações de conscientização e esclarecimento para prevenir problemas visuais, proteger e tratar da visão das pessoas.

O objetivo é discutir a importância dos cuidados com a saúde dos olhos e mostrar à população os benefícios das medidas preventivas. A conscientização da população é fundamental, já que 80% dos casos de cegueira pelo mundo poderiam ser evitados ou tratados, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A visão é o principal sentido do ser humano: cerca de 85% da relação do indivíduo com o mundo se dá através da visão.

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) alerta para os números da cegueira global: a cada 5 segundos uma pessoa fica cega. No Brasil, há mais de 1,2 milhões de pessoas que não enxergam. Em relação às crianças, a média é de uma criança cega a cada minuto.

-Por isso a importância dos exames preventivos, como o primeiro exame oftalmológico realizado no ser humano feito nos primeiros dias de vida, que é o Teste do Olhinho (ou Teste do Reflexo Vermelho). Através dele pode-se prevenir pelo menos 60% das causas de cegueira ou perdas visuais infantis, alerta Armando Crema, presidente da SBO.

O exame oftalmológico feito por um médico oftalmologista é decisivo para alterar as condições de saúde ocular da população. Dependendo da faixa etáriaem que é feito, pode-se descobrir doenças como retinopatia diabética, catarata, glaucoma, ceratocone, entre outras, que nem sempre são percebidas pelo paciente. Portadores de doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, também devem consultar especialistas regularmente, já que, se não tratadas, também podem afetar a visão.

A SBO preconiza um exame oftalmológico realizado na infância, um exame na idade adulta, entre 30 e 40 anos. E a partir dos 40 anos, a recomendação é um exame anual. Após os 40 anos, o risco de desenvolver glaucoma aumenta e, se não tratado, pode levar a cegueira irreversível. A partir dos 50 anos, o risco é de ter catarata (opacificação do cristalino). Nesse caso, apesar de levar à cegueira a situação pode ser reversível com cirurgia.

Ainda, de acordo com os números da OMS, cerca de 80% das 45 milhões de pessoas cegas no mundo são maiores de 50 anos. As principais causas de cegueira entre adultos são: catarata (reversível), glaucoma, retinopatia diabética e degeneração macular relacionada à idade (DMRI).

A notícia que se pode comemorar é que a maioria dessas doenças têm prevenção e tratamento, inclusive com modernos recursos cirúrgicos. O tratamento precoce e a conscientização da população, através de programas educacionais, são duas armas poderosas contra a cegueira.

Confira algumas dicas para manter a saúde ocular e prevenir a cegueira:

– Leve seu filhos para consultas oftalmológicas regulares;

– Faça consultas anuais com o seu oftalmologista para realização de exames para diagnóstico de doenças;

– Aos sintomas como coceira, vermelhidão, sensibilidade à luz e sensação de areia, procure um oftalmologista;

– Nunca coce os seus olhos, pois isso pode provocar lesões na córnea;

– Colírios só devem ser usados com prescrição médica, não existe colírio inócuo;

– Não compartilhe maquiagens, pois elas podem transmitir desde conjuntivites até herpes. Também não use produtos com prazo de validade vencido, pois podem causar alergias e infecções;

– Faça a higienização adequada das suas lentes de contato. Não use água ou soro fisiológico, pois eles podem estar contaminados e acabar provocando infecções oculares graves.

Atenção com os óculos de grau, lente de contato e óculos de sol:

– Por lei, apenas o médico oftalmologista pode prescrever e adaptar lentes de contato e óculos;

– Não compre óculos em camelôs, você está incentivando um comércio ilegal e que pode ocasionar severos danos à sua saúde ocular;

– Óculos de sol, imprescindíveis para a proteção contra os raios solares, também devem ser prescritos por médico oftalmologista e, obrigatoriamente, trazer explícita a informação de que as lentes têm proteção contra os raios ultravioletas (UV);

– Crianças também devem usar óculos de sol na praia ou em atividades ao ar livre. Há modelos especiais infantis que elas adoram, vira uma brincadeira.

FONTE: Sociedade Brasileira de Oftalmologia


Os colaboradores do Hospital do Olho apoiam mais uma vez a campanha Outubro Rosa. Com o laço rosa, símbolo da luta contra o câncer de mama, eles reforçam a importância do autoexame da mama para a prevenção da doença. A entrada do hospital também recebeu sinalização com o objetivo de alertar toda comunidade.

Segundo dados do INCA, são esperados 58 mil novos casos de câncer de mama no Brasil. Para Sthefane Chaves, do setor de recepção, a mobilização interna é fundamental por conta do grande índice da doença que tem levado muitas mulheres a óbito. “É importante a gente está atento e mobilizar o maior público possível para a realização de exames preventivos”, enfatizou.

O técnico de enfermagem Thalisson Andrade destacou que mesmo o Hospital não sendo da área é importante trazer essa mensagem, pois as mulheres são maioria entre clientes. “Temos que alertar nossas pacientes, porque a prevenção e a promoção da saúde são fundamentais”, disse.

Saiba mais:

Como prevenir o câncer de mama

• Ir ao médico e realizar exames regularmente;
• Praticar atividade física regularmente;
• Alimentar-se de forma saudável;
• Manter o peso adequado;
• Evitar o consumo de bebidas alcoólicas.


Segundo dados do Ministério da Saúde, ao ano estima-se que 110 mil crianças precisem ser hospitalizadas em decorrência de acidentes domésticos. Dentre esses, os acidentes oculares são muito comuns, por desatenção das crianças ou porque, estando em fase de desenvolvimento, os mais novos, principalmente, tendem a mexer em tudo – plantas, animais e até naquela panela no fogão.
Por isso, além de estar em constante alerta, coloque em prática estas importantes orientações:

• Mantenha produtos de limpeza longe do alcance das crianças. O mesmo se aplica a medicamentos, que não podem ser aplicados nos olhos sem prescrição médica ou em doses diferentes do que foi recomendado;
• Não permita que crianças brinquem com objetos pontiagudos, como facas, garfos e tesouras com pontas, pois eles representam risco de perfuração ocular;
• Cuidado com as plantas: as pontiagudas e espinhosas podem ferir os olhos. As que soltam líquido leitoso podem causar irritação, se atingirem os olhos;
• Não fume próximo a crianças pequenas;
• Oriente as crianças a tomar cuidado em suas brincadeiras com animais (eles podem bicar, arranhar ou morder a região os olhos) e ainda a lavar bem as mãos após suas brincadeiras;
• Ao praticar esportes aquáticos, use óculos de proteção;
• Oriente as crianças a evitar o hábito de coçar repetidamente os olhos. Isso pode facilitar o aparecimento de infecções e desencadear doenças nos olhos;
• Deixe sempre o cabo da panela virado para dentro e mantenha-a tampada.

Caso o acidente já tenha ocorrido, quais os procedimentos para realizar os primeiros socorros corretamente?

Se o acidente acontecer, de fato, existem algumas medidas que podem ser tomadas para fazer os primeiros socorros:

• Lave os olhos com água limpa em abundância se algum produto químico respingar nos olhos, mas evite a lavagem em qualquer suspeita de perfuração ocular.
• Não mexa no olho vitimado pelo acidente, nem aplique sobre ele soluções caseiras.
• O uso de colírio para alívio da dor ou incômodo somente deverá ser feito mediante a indicação do médico oftalmologista.
• Todo e qualquer caso e acidente ocular deve ser encaminhado imediatamente para atendimento oftalmológico de urgência.
• Evite a compressão do globo ocular até a avaliação pelo oftalmologista da extensão da lesão provocada pelo acidente.

Mas lembre-se: nada substitui o atendimento do médico oftalmologista. Procure imediatamente um pronto-socorro oftalmológico em casos de acidente.

FONTE: Conselho Brasileiro de Oftalmologia


O setor de lentes de contato do Hospital do Olho está com novidades. Além de uma moderna estrutura, os clientes terão ainda mais facilidades para adquirir esse importante acessório utilizado na correção de diversos problemas óticos.

E para mais comodidade dos clientes, agora o Hospital do Olho conta com os Kit´s de limpeza de lentes multiuso. As lentes de contato devem estar sempre bem higienizadas e prontas pra uso, sem causar riscos à saúde ocular. O setor dispõe das melhores marcas como CooperVision, jonhson&johnson, Solótica, Medphacos, Bausch + Lomb, Optolentes.

A contatóloga Geórgea de Miranda afirma que esse reinvestimento que o Hospital do Olho está fazendo no setor de lentes, em parceria com as melhores marcas do mercado, só reforça o compromisso da empresa em oferecer uma adaptação de lentes de qualidade e acessível a todos.

“Sabemos que lentes de contato devem ser adaptadas, prescritas e supervisionadas por um médico oftalmologista, que irá zelar pela saúde ocular de paciente e todo este trabalho é realizado com o auxílio de uma contatóloga capacitada nos grandes centros do país”, enfatizou.

Para conhecer todos os detalhes, os interessados podem entrar em contato por meio do número (86) 3194-1000 ou pelo whatsApp 9906-0047.


O Hospital do Olho marcou presença no Workshop O Monge e o Executivo realizado no último sábado (29). O evento que tem como referência o Best-seller O Monge e o Executivo debateu a importância da liderança para as empresas do Piauí. Seis colaboradores dos setores de administração, enfermagem e atendimento do hospital participaram de toda programação do evento que aconteceu no Gran Hotel Arrey.

O Workshop contou com os renomados palestrantes nacionais, o coach Astromar Braga e o diretor da Fórmula Treinamentos, Xando Natsume. Temas como liderança, gestão, empreendedorismo e carreira foram discutidos durante a apresentação dos palestrantes com 10 horas de conteúdos.

A gerente de serviços do Hospital do Olho, Samara Ramos, destaca a importância da organização estar presente em eventos como o workshop. “É importante a participação dos nossos colaboradores em eventos assim, para estimular o desenvolvimento pessoal e profissional no que diz respeito à liderança, conhecendo ferramentas que os possibilitem executar suas atividades com mais efetividade dentro da empresa”, disse a gestora.

A recepcionista líder do bloco B, Roseli dos Santos, também compartilhou como foi essa experiência. “Foi um ótimo aprendizado para gerenciar nossos sentimentos, relacionamento como gestora e também colaborador, levando em conta o lado espiritual e ao mesmo tempo o lado profissional, e assim termos o equilíbrio de nossas atitudes”, enfatizou.

O Workshop O Monge e o Executivo foi promovido pela Focus Consultoria e o Hospital do Olho apoia eventos de qualificação profissional que proporcionam capacitação e network aos colaboradores. 



Para ter uma visão saudável é importante tomar alguns cuidados com a higiene dos olhos, tendo ciência de determinadas atitudes que possam prevenir danos à visão. Cultivar alguns hábitos será eficiente para manter a saúde desses órgãos tão sensíveis, mas que estão sempre expostos ao contato natural, físico ou cosmético. Segundo os dados da Organização Mundial de Saúde, cerca de 50 milhões de brasileiros sofrem algum tipo de distúrbios de visão. Deste número, 60% dos casos são de cegueira e deficiência visual. Porém, se fossem tratados com antecedência, poderiam ter sido evitados. Em função disso, selecionamos algumas dicas capazes de prevenir e evitar outros problemas oculares.

1 - Evite coçar os olhos

O hábito instintivo e prejudicial de esfregar com frequência a região dos olhos pode resultar em problemas oculares, pois a estrutura é muito frágil e a pressão exercida na área pode provocar lesões e doenças mais graves. As mãos têm impurezas e podem levar bactérias para os olhos, desenvolvendo uma conjuntivite bacteriana, ou até causar ferimentos radicais. Se a sensação de coceira persistir, procure um oftalmologista para verificar a causa.

2- Maquiagens e seus cuidados

Dormir sem remover os produtos de beleza dos olhos pode irritar e até mesmo inflamar a área ocular. Usar cosméticos fora da validade, ou de terceiros, também pode causar consequências ruins à saúde dos olhos. Procure usar produtos antialérgicos e sem conservantes. Após o término do uso dos pinceis e escovas de maquiagem, lave-os para evitar a proliferação de bactérias nos mesmos. Observe sempre o prazo de validade de cada produto.

3 – Dose o nível de açúcar em sua rotina

O excesso de glicose no sangue não é apenas perigoso para a saúde do corpo, mas também pode causar problemas à visão principalmente aos portadores de diabetes, sendo eles do tipo 1 ou 2. O alto consumo do açúcar pode agravar ainda mais o problema, provocando uma retinopatia diabética. Esta doença é silenciosa e o único sintoma é de vista embaçada, porém, não causa dor nenhuma ao portador, mas, pode provocar hemorragia interna e até mesmo uma cegueira reversível.

4 – Pare de fumar!

Cientistas afirmam que o consumo do cigarro está associado a alguns problemas de visão, como degeneração macular, catarata e danos no nervo óptico. Esse último é capaz de causar cegueira irreversível ao fumante. Se você já tentou parar de fumar e não conseguiu, eis um bom motivo para largar o tabagismo.

5- Pratique atividades físicas

A inclusão de exercícios é importante para a saúde do corpo e, também, dos olhos. Estar acima do peso, somado a uma má alimentação, impede as vitaminas que previnem os prejuízos celulares de chegar, em quantidade suficiente, aos olhos causando danos à visão. Portanto, é importante praticar algum tipo de esporte ou exercício físico.

6 – Lave bem os olhos!

Pelo menos uma vez por dia, dedique um tempo para higienizar a área em volta deles, como as pálpebras, os cílios e os cantos, removendo as impurezas e secreções secas a fim de evitar coceira incômoda capaz de causar irritação ou até mesmo uma conjuntivite indesejada. O ideal é limpar ao redor dos olhos com hastes flexíveis, essas usadas para limpeza dos ouvidos (cotonete), umedecidas com creme de limpeza apropriado para esta região. Na hora do banho, o enxágue seguido de massagens leves na parte exterior das vistas também são aconselháveis.

7 – Pisque mais os olhos

Com frequência, esse comportamento instintivo lubrifica as córneas, evita o ressecamento dos olhos e tantos outros problemas que comprometem a visão, como coceira e irritações mais sérias. Pisque mais, faça pausas repetidas quando estiver concentrado em um ponto fixo ou diante de um computador. Vai ajudar a descansar a vista e auxiliar no combate da chamada síndrome da visão de computador (do termo inglês CVC).

8 – Tenha bastante cuidado com as lentes de contato

Antes e depois de usá-las, lave bem as mãos e higienize as lentes com produtos sugeridos pelo fabricante. Também é recomendável que o usuário siga as instruções atentamente para melhor execução do contrato. A limpeza do estojo é essencial e deve estar em dia, antes de repor o objeto no local. Lembre-se da substituição das lentes de acordo com o prazo de validade, para evitar riscos de infecções.

9 – Coma mais peixe

Este alimento preserva a saúde dos olhos, diminuindo problemas ópticos como a degeneração macular, doença capaz de causar cegueira irreversível. O peixe é um alimento rico em ômega 3 e também contém vitaminas A, B,D e E, que são essenciais para a nossa  saúde. Quando ingerido, distribui bastante oxigênio para todo o corpo, inclusive para os olhos, combatendo o envelhecimento precoce nas estruturas oculares e fortalecendo o globo ocular, proporcionando uma visão mais clara.

10 – Atenção para a mais importante!

Antes de qualquer atitude é fundamental estar em dia com a consulta ao oftalmologista. Recebendo o diagnóstico dos sintomas com o especialista, a fim de prevenir futuros problemas, este cuidado é necessário para manter a saúde dos olhos. Quanto mais rápido o tratamento for feito, caso necessário, melhor será o resultado. Agende regularmente uma consulta para realizar exames preventivos.

FONTE: Conselho Brasileiro de Oftalmologia


Comprovando os serviços de excelência prestados ao longo desses 12 anos na área oftalmológica, o Hospital do Olho receberá o prêmio Top Of Mind Brazil como a marca mais lembrada pelos piauienses no setor de oftalmologia do Piauí, de acordo com o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Opinião Pública (INBRAP).

A entrega do prêmio, que abrange todo o território nacional, acontecerá no mês de novembro em São Paulo. O Top Of Mind é concedido anualmente àquelas empresas, entidades e profissionais que fazem a diferença com o objetivo de reconhecer e premiar a gestão de empresas e instituições que se destacam no mercado brasileiro, cuja excelência na qualidade de seus produtos ou serviços contribuem efetivamente para o desenvolvimento socioeconômico do país.

Para o oftalmologista Flávio Bezerra, que compõe a equipe médica do Hospital do Olho, essa premiação só ratifica o compromisso da empresa em oferecer um serviço de excelência assegurando a satisfação dos clientes. “Para nós é uma imensa alegria. Esse reconhecimento da marca se dá, principalmente, pelo serviço de excelência que oferecemos aos nossos pacientes com os mais modernos tipos de tratamento aliado a uma equipe médica e de colaboradores sempre bem capacitados”, enfatizou o especialista.

Saiba mais

Considerado como um dos mais importantes prêmios de marketing editado no Brasil, o Top Of Mind Brazil tem aprimorado suas técnicas de coleta e análise de dados para que seus resultados sejam cada vez mais fiéis às tendências de mercado.

O INBRAP realiza pesquisa de mercado apurando dados e informações a respeito das empresas, instituições e profissionais, no que tange à gestão da qualidade, e que por sua postura estão ativos na memória imediata de seus clientes. As empresas indicadas passam por diversas análises, onde são referenciados os diversos itens com os padrões de qualidade.

Com informações do INBRAP

 


O diabetes é uma doença progressiva que não oferece grandes riscos ao paciente que mantém a doença sob controle, porém, quando isso não ocorre, a alta concentração de glicose é capaz de afetar seriamente os vasos sanguíneos do corpo, incluindo dos olhos. As pessoas que têm diabetes apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que as demais.

Os cuidados do paciente diabético relacionados à visão devem ser redobrados, pois a taxa de açúcar no sangue em nível elevado pode provocar lesões nos vasos do olho, ocasionando a retinopatia diabética, uma doença complexa, capaz de levar à cegueira total. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a retinopatia diabética atinge mais de 75% das pessoas que têm diabetes há mais de 20 anos.

O que é a retinopatia diabética?

Um material é depositado nos vasos sanguíneos da retina, provocando alterações, difïcultando a circulação e fazendo com que esses vasos fiquem deformados. Essa situação provoca a formação de microaneurismas, que podem causar alterações na retina.

Causas

O diabetes mellitus é o fator desencadeante dessa doença, que impede o corpo humano de fazer uso adequado de alimentos, especialmente de açúcares. O problema específico é uma quantidade deficiente do hormônio insulina nos diabéticos.

Como é feito o tratamento?

O controle riogoroso do diabetes com uma dieta adequada, uso de pílulas hipoglicemiantes, insulina ou com uma combinação desses tratamentos, prescritos pelo médico endocrinologista, são a principal forma de evitar a retinopatia diabética. Quando ela já esta instalada, pode-se optar pela fotocoagulação com raio laser, previnindo hemorragias.

Fotocoagulação por raio laser é o procedimento pelo qual pequenas áreas da retina doente são cauterizadas com a luz de um raio-laser na tentativa de prevenir o processo de hemorragia. O ideal é que esse tratamento seja administrado no início da doença, possibilitando melhores resultados, por isso é extremamente importante a consulta periódica ao oftalmologista.

FONTE: Conselho Brasileiro de Oftalmologia



Buscando sempre oferecer serviços de excelência na área de Oftalmologia, a partir do dia 03 de outubro o Hospital do Olho passa a contar com um novo atendimento, a Fisioterapia Ocular. A nova especialidade da Fisioterapia é uma área auxiliar da Oftalmologia e da Neurologia, que trata da reabilitação visual de pacientes que apresentam alterações nos movimentos dos olhos devido a desordens do sistema neuro cerebral ou por alterações do sistema óculo-motor e/ou visual.

O novo atendimento clínico será conduzido pelo fisioterapeuta ocular Dr. Hélio Siqueira, referência na área, e ampliará os diversos e mais modernos tratamentos em oftalmologia já disponibilizados pelo Hospital do Olho. “Essa nova área de especialidade da fisioterapia de reabilitação ocular amplia o maior número de possibilidades de tratamentos aos seus pacientes do hospital”, enfatizou.

Segundo o Fisioterapeuta ocular, Dr. Hélio de Siqueira, a terapia motora do olho, também conhecida como óculo-motricidade, trata as deficiências da visão sensorial e do movimento dos olhos através do treino da musculatura ocular com estimulação visual e exercícios dinâmicos proprioceptivos, que visam corrigir distúrbios da visão e recuperar a funcionalidade visual.

“Baseia-se em exercícios monitorados que visam o fortalecimento e o equilíbrio da musculatura do olho, reeducação da postura e prevenindo complicações ortopédicas, promovendo uma melhor realização das atividades profissionais e de vida diária para o paciente”, destaca o especialista.

Ele explica que os exercícios são indicados principalmente nos casos de alterações e desvios nos movimentos oculares, bem como nos casos de desconforto aos esforços visuais. “O tratamento se dá pela detecção de insuficiência de rotação para convergência e divergência dos olhos pelo exame de motilidade ocular que detecta e mensura as insuficiências musculares dos olhos, as quais podem causar visão dupla, dificuldade ou sonolência durante a leitura, perda de concentração e diminuição da aprendizagem nos estudos, cansaço visual e dor de cabeça”, disse o Dr. Hélio Siqueira.

A fisioterapia ocular também é indicada para o pós cirúrgico de Blefaroplastia, correção refrativa, como também em casos de estrabismo, ambliopia, paralisia facial e visão sub-normal. O especialista alerta que, quanto mais precoce for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, melhor será o resultado e mais rápida será a recuperação. “Em algumas situações a fisioterapia ocular evita, se possível, a necessidade cirúrgica, como nos casos de estrabismos intermitentes”, finaliza Dr. Hélio.

A partir de outubro, o Hospital do Olho contará todas as quartas-feiras e aos sábado com o atendimento dessa nova especialidade oftalmológica que auxilia na correção e recuperação da funcionalidade visual. Os agendamentos podem ser feitos por meio do número (86) 2107-9900.


Quem já ouviu a vovó dizer “coma cenoura que faz bem para os olhos” ou “formiga no açucareiro não tem problema, porque formiga faz bem para a vista”? Mas será que isso é verdade ou apenas crendice popular? Será que uma boa alimentação é determinante para a saúde dos olhos?

“A vovó não estava errada. Cenoura, ou melhor, o betacaroteno presente na cenoura, faz bem para os olhos, sim. E se a cenoura for orgânica, melhor”, alerta a nutricionista Viviane de Castro Teixeira Alvarenga.

O betacaroteno não é a única substância presente em alimentos que faz bem para os olhos. Outras fontes de vitaminas e minerais também têm essa função. “É importante ingerir alimentos de cores variadas. Quanto mais cores, maior a diversidade de vitaminas e minerais e mais benefícios para a saúde ocular”, explica a nutricionista. 

Quais alimentos são bons para a visão?

Das vitaminas, as recomendadas para se manter a boa visão são a A, E e C, presentes em alimentos de cores roxa, vermelha e alaranjada como o açaí, a jabuticaba, a abóbora e o mamão. Elas são antioxidantes e combatem os radicais livres e o envelhecimento dos olhos.

Alimentos ricos em luteína e zeaxantina também são ótimos antioxidantes. Elas são encontradas predominantemente nos vegetais amarelos, alaranjados, vermelhos e verdes tais como nectarina, laranja, mamão, pêssego, brócolis, couve-de-bruxelas, repolho, couve-flor, ervilha, milho e rúcula.

Dos minerais, os recomendados são o zinco, o magnésio e o cobre. Das gorduras boas, o ômega 3 ajuda na lubrificação e auxilia no combate à síndrome do olho seco. O alho cru é bom para o glaucoma, já que é eficaz na redução da pressão ocular e corporal por ter efeito vasodilatador.

O Guia Alimentar para População Brasileira oferece recomendações para promover a alimentação adequada e saudável e orientar o consumo de alimentos de modo a promover proteção contra as deficiências provenientes da má nutrição.

Glaucoma – O que não comer

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que entre 60% e 80% dos casos de cegueira são evitáveis e/ou tratáveis. O glaucoma é uma das doenças mais comuns que afetam os olhos dos brasileiros. E ele pode ser evitado. Segundo a OMS, mais de um milhão de pessoas sofrem desse mal no País. No mundo, 80 milhões serão atingidas em 2020.

De acordo com o oftalmologista Tarciso Schirmbeck, o glaucoma é assintomático na maioria dos casos. Desta forma, as consultas com o especialista devem ter uma frequência anual a partir de 40 anos, já que este problema costuma ser desenvolvido em idades mais avançadas.

A Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO) preconiza que seja realizado um exame oftalmológico na infância e outro na idade adulta, entre 30 e 40 anos. A partir dos 40 anos, a recomendação é de exame anual. Já pessoas com familiares portadores de alguma doença ocular devem fazer exames periodicamente.

O oftalmologista também recomenda controlar adequadamente o diabetes e a hipertensão arterial, que podem causar glaucoma secundário, chamado neovascular. E para controlar o glaucoma, a diabetes e a hipertensão, além de medicamentos sob orientação médica, uma boa alimentação é fundamental.

Alimentos que contenham gordura trans são inflamatórios e devem ser evitados. Assim como os que têm corante, conservante e realçador de sabor (glutamato monossódico).

Já as formigas da vovó, pode esquecer. É crendice. Elas não fazem bem para os olhos.  

FONTE: SAÚDE BRASIL


Apesar de tão importante para o nosso bem-estar, a saúde dos olhos é constantemente negligenciada. Em geral, só nos preocupamos com ela de maneira mais específica quando surge algum problema, o que é um erro.

Para garantir que os seus olhos estejam sempre saudáveis, é importante adotar algumas medidas simples, porém bastante eficazes; confira quais são elas!

1. Mantenha seus exames oftalmológicos em dia

Quando o assunto é a saúde dos olhos, prevenção é uma das dicas mais importantes. Por isso, é fundamental que você faça seus exames oftalmológicos com a frequência recomendada pelo especialista.

É importante lembrar que algumas doenças oculares crônicas, como glaucoma, degeneração macular e retinopatia diabética normalmente não apresentam sintomas em seus estágios iniciais, portanto a melhor forma de detecção é mesmo através de exames preventivos.

2. Invista em hábitos saudáveis

Que uma dieta equilibrada é a chave para uma vida mais saudável você provavelmente já sabia, mas será que você também estava ciente de que alimentar-se corretamente pode ajudar a prevenir uma série de doenças oculares?

Isso porque se você está livre das chamadas doenças sistêmicas — aquelas que afetam uma série de órgãos ou todo o corpo, como hipertensão e diabetes —, está automaticamente livre de problemas oculares relacionados a elas, como a retinopatia diabética e a hipertensiva.

E qual é a melhor maneira de evitar problemas de saúde como hipertensão e diabetes? Adotando uma alimentação saudável, ou seja, pobre em açúcares, carboidratos refinados, sódio e gordura.

A pessoa que, além de se alimentar corretamente, mantém outros hábitos saudáveis — como não fumar e evitar a exposição excessiva à radiação solar —, também evita a Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI), que é uma das principais causas de cegueira em pessoas com mais de 50 anos de idade.

3. Proteja seus olhos do sol

É importante que você saiba que usar óculos de sol não é apenas uma questão de gosto pessoal ou estilo. Se escolhidos adequadamente, eles podem ajudar a proteger a retina das radiações solares e de uma série de problemas de visão, inclusive da catarata.

Na hora de comprar seus óculos, atenção! Verifique se o modelo possui um selo de qualidade garantindo que suas lentes protegem a visão adequadamente contra os raios ultravioletas.

Um erro bem comum é acreditar que os óculos só são necessários no verão. Isso não é verdade, já que durante o inverno os olhos também estão sujeitos à exposição aos raios ultravioletas. Portanto, faça dos óculos de sol seus grandes aliados!

4. Conheça o histórico ocular da sua família

É importante que você procure saber se seus parentes próximos tiveram problemas oculares e quais foram eles, pois muitas doenças relacionadas à visão são hereditárias.

Obviamente que a existência de casos na família não é um fator determinante, mas é sempre bom ficar atento ao risco de desenvolver uma doença ocular mais séria.

Lembre-se de que o diagnóstico precoce é determinante para a cura de diversos problemas de saúde, portanto é sempre bom estar atento a essas questões.

5. Use o computador e/ou celular de maneira adequada

Quando você passa muito tempo em frente à tela do computador ou atento ao celular, tende a abrir mais os olhos e a piscar menos, o que pode causar uma diminuição na lubrficação do globo ocular, essencial para a saúde dos olhos.

Para evitar problemas oftalmológicos decorrentes desta prática, procure piscar com maior frequência e faça pausas de pelo menos 20 segundos a cada 20 minutos que passar olhando para a tela.

Também é importante manter o monitor a uma distância de 50 centímetros e, se for o caso, usar um colírio recomendado pelo seu oftalmologista. Além disso, procure ajustar corretamente as configurações da tela, especialmente no que diz respeito ao brilho, para que ela não fique clara demais.

Seguindo essas dicas simples fica mais fácil manter a saúde dos olhos sempre em dia!

Gostou do nosso post? Então aproveite para saber mais e conheça os 5 alimentos essenciais para a saúde dos seus olhos!


Desde a época das grandes navegações até hoje, a vitamina C coleciona feitos. No passado, livrou milhares de marinheiros do fatal escorbuto e, hoje, já se sabe que o micronutriente tem participação especial na produção de colágeno e no fortalecimento da imunidade frente a tumores e infecções – quem nunca pegou uma gripe e ouviu a recomendação “vitamina C e cama”?

Grande parte das vantagens vem do seu poderoso efeito antioxidante. É que o nutriente mais célebre das frutas cítricas combate os radicais livres, aquelas moléculas que, em excesso, danificam as células do corpo. Com uma propriedade dessas, fica fácil entender por que o currículo da substância vive crescendo. Seu último emprego, recém-divulgado por estudiosos do King’s College London, na Inglaterra, é atuar em defesa dos olhos.

O grupo de pesquisa acompanhou 324 pares de gêmeas com idades entre 50 e 83 anos por uma década. Durante esse tempo, a velocidade de progressão da catarata foi medida por meio de fotos do cristalino, a lente natural do olho – na doença, ela fica turva e a visão embaça. Além disso, as voluntárias preencheram um questionário alimentar, no qual constava a ingestão de nutrientes. O cruzamento de dados revelou que, entre as mulheres com maior consumo de ácido ascórbico, o nome oficial da vitamina C, houve redução de 33% no ritmo de evolução da catarata. “Sua ação antioxidante auxiliaria a manter a transparência do cristalino”, traduz o oftalmologista Jae Lee Min, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, em São Paulo.


Entre 1990 e 2015,  os casos de cegueira no mundo aumentaram de 30,6 milhões para 36 milhões, enquanto o número de portadores de algum tipo de deficiência visual, de moderada a grave, passou pelo significativo crescimento de 36%. Atualmente, 217 milhões de pessoas no mundo inteiro se encontram em situação parecida – e a previsão é de que, até 2050, esse índice chegue a triplicar.

Mas como podemos cuidar da saúde dos olhos – e, com isso, tentar garantir que não vamos nos tornar parte dessas estatísticas? SAÚDE dá algumas sugestões abaixo.

1. Não exponha a vista diretamente ao sol – na praia ou na piscina, vá de óculos escuros.

2. Só use colírios sob prescrição e orientação médica.

3. Não coce os olhos nem leve as mãos a eles sem uma boa higiene antes.

4. Pare de fumar – cigarro afeta até a circulação na retina.

5. Vá ao oftalmo se perceber qualquer alteração no campo visual ou, mesmo sem sintoma algum, faça visitas regulares a partir dos 40.

6. Pratique atividade física, especialmente ao ar livre.

7. Navegue no computador e use smartphones com bom senso.

8. Siga uma alimentação equilibrada e nunca deixe de ingerir fontes de vitamina C (frutas cítricas), luteína (espinafre, milho, gema de ovo…) e ômega-3(pescados).